Dna Iracema de 77 anos com Úlcera Varicosa, desde   julho de 2012.

 Com dores latejantes todos os dias, com dificuldade para dormir e local muito  inchado.

  Antes 02/07/14       depois  17/09/14

 

 

 

 

 

Eneida 1ª vez em 24/06/15 e a 2ª em 29/07/15  3ª 23/09/15

 

Problemas intestinais e hemorróidas foram eliminados, sono restaurado, não precisando fazer mais cirurgia.

Depoimento da Therezinha

"""  Meu nome é Therezinha Ribeiro do Nascimento, brasileira, solteira, 75 anos, residente e domiciliada em Lauro de Freitas-Bahia.
Em 2006 comecei com um problema nas vias urinárias que foi diagnosticado como "ESTENOSE DE URETRA" ou seja dificuldade para urinar.Tive que colocar sonda inúmeras vezes, ficando de 15 dias a 1 mês com sonda uretral.
Ultimamente realiza autocateterismo uma vez por semana.
Em janeiro deste ano, em um dos exames de rotina peguei uma Bactéria muito resistente que só podia ser tratada em hospital.
Fiquei internada 10 dias tomando 2 dose diárias de antibiótico muito forte.
NO DIA 26/06/14 comecei o tratamento do BIOMAGNETISMO MÉDICO com Natalino Sussumu e sua equipe.
Na 5ª sessão já comecei a sentir a diferença. Hoje dia 01/10/14 exatamente 37 dias que não faço autocateterismo, recurso que usava para dilatar as veias urinárias e assim poder esvaziar a Bexiga.
Quero agradecer muitíssimo: Natalino Sussumu Dra Cheila e o jovem Camilo.
Agradecida, muito agradecida.
São Paulo, 01/10/14. Endereço -Bahia.Lauro de Freitas-Bahia. CEP 42700-000"""

No dia 02/10/14 a Dna Therezinha  retornou para Bahia, de onde está previsto fazer o rastreio a distância daqui a 30 dias.

Depoimentos:

 

02/03/17 Débora, enxaqueca quase toda a vida, em apenas uma sessão só teve duas vezes o sintoma e mais fraco, agradeceu tanto que chamou a gente de anjos.

09/02/17 Darcy, tremor nas mãos com apenas duas sessões melhora de 90% (parkinson)

11/04/15, Sofia de 3 anos, intestino muito preso desde quando nasceu, em duas sessões teve melhora de 70%.

17/10/15, Tereza, 52 anos, após 4 dias de ter feito o Bio, a mesntruação veio com abundância, expelindo pedaços de carne, segundo relato da paciente, sentindo desinchada, e urinando mais.

15/01/15  Iraci, fumante, sentia muita falta de ar ao deitar de barriga para cima, apneia muito forte. após as sessões de BMM melhorou 80%, continua tratamento mensal.

25/10/14 Juliana, dor de cabeça todos os dias,em 29/11/14 voltou para fazer 2ª sessão de Biomagnetismo. Ela relatou que só teve duas vezes dor de cabeça.Após rastreio foi dado alta.

31/07/13 Elenir, intestino preso a mais de 25 anos, após 1 sessão, no dia seguinte já começou a funcionar. Fez 4 sessões e resolveu o problema.

07/09/13 Felipe, varicocelle no escroto, água no escroto, sentia muitas dores no local, em apenas 5 sessões normalizou, desapareceu todos os sintoma por completo.

28/08/13 Alessandra, intestino preso desde que conhece como gente,, após 1 sessão começou a funcionar todos os dias. Fez 4 sessões e resolveu o problema.

0/11/13 Catharine,psoríase a um ano, após 4 sessões as manchas desapareceram por completo.

04/11/13 Caio, Bronquite asmática, ronco, falta de ar, após 2 sessões já tinha melhorado 80%, não ronca mais, não sente mais falta de ar com frequência, faz uso da bombinha as v ezes. está em tratamento.

07/08/13 Iracema,Vitória - ES, desequilíbrio geral, cansaço, após 4 sessões sentiu equilibrada e sem cansaço.

12/02/14 Luana, ntestino preso, indisposição sem vontade de fazer nada, fez 3 sessões está sentindo muito melhor.

12/02/14 Márcia, esgotamento físico e mental, após 3 sessões está sentindo muito bem. Lembrando que a maioria das pessoas que fizeram o Biomagnetismo Médico, relatam que após a 1º sessão já sentiram muito bem.

22/01/14 Regina, medo, pânico, depressão, tristeza profunda, após 2 sessões já começou a sentir muito bem, hoje já fez 5 sessões e está muito melhor 80% de melhoras, ainda continua em tratamento fazendo 1 sessão por mes.

14/12/13 Sergio, problema de fala, melhorou após 4 sessões está de alta.

Data  Simon, intestino preso há muito tempo e desequilíbrio energético, stress, após 4 sessões intestino começõu a funcionar e melhorou bastante stress.

01/12/13 Valéria, bronquite, varizes, dores nas pernas, pressão alta, dor cervical, dor lombar, verruga, dor de cabeça, tireoide, alergia , rinite, sinusite, tristeza, medos, impaciência. Após 4 sessões melhorou de quase tudo, sua feição é outra mais alegre, desapareceu quase todos os mal estar, está super contente.

01/03/14 Viviane, alergias nas mãos, acabou com alergia, melhoras de outros sintomas como cólica menstrual, intestino, insônia, tireoide, já fez 4 sessões.

NOTÍCIAS

17/10/2017

Padre Elias explica o que é biomagnetismo e fala da parceria com MSMC

Em entrevista para o portal do MSMC, o padre Elias Arroyo Román, médico clínico geral fala do diagnóstico e do tratamento alternativo através do biomagnetismo e da parceria da comunidade Comboniana de Roraima com o Movimento Saúde Mental Comunitária.

Padre Elias é mexicano, com experiência de dez anos de missão em Moçambique. Está iniciando um trabalho em Boa Vista. Ele e os padres Domingos Cibei e José Leyton, acompanham 17 comunidades indígenas nas regiões do Baixo e Médio São Marcos e Murupu, na diocese de Roraima. São povos das etnias Macuxi e Wapixana. De forma emergencial, os combonianos junto a outros religiosos, religiosas, leigos e o povo roraimense atendem os índios Warau, migrantes vindos ao Brasil premidos  pela situação econômica e social de seu país de origem, a Venezuela.

No início deste mês, por indicação da Província Comboniana no Brasil, o padre Rino Bonvini, psiquiatra, presidente do MSMC, visitou aquela missão Comboniana em Boa Vista. A partir daí, os padre Rino e Elias, acertaram uma parceira, inicialmente, com idas do padre Rino a Boa Vista a cada dois meses. A proposta é realizar um serviço de acolhimento e cuidado de pessoas para fortalecimento da saúde mental, especialmente pela verificação do crescente índice de suicídio entre aqueles povos indígenas.

 

Padre Rino irá implementar a Abordagem Sistêmica Comunitária, o método que qualifica e envolve pessoas da comunidade em processos preventivos e socioterapêuticos visando o equilíbrio biopsicossocioespiritual dos participantes, criado por ele junto às Comunidades Eclesiais de Base, em Fortaleza, há 21 anos.

Roraima é o estado brasileiro da Amazônia legal com maior presença de índios em terras demarcadas. Proporcionalmente é o estado do país com maior presença indígena, cerca de 70 mil habitantes de diversas etnias (IBGE 2010).

Veja a entrevista do Padre Elias na íntegra, realizada pelo jornalista Elizeu Sousa.

Portal MSMC – O senhor poderia explicar o que é o biomagnetismo?

É uma técnica descoberta pelo médico mexicano Dr. Isaac Goiz Duran nos anos 80, consiste numa revisão da cabeça aos pés, o diagnóstico e tratamento se fazem com ímãs de grande potência, dentre 3.500 a 5.000 Gauss [unidade de medida de fluxo magnético]. Isto permite identificar diferentes patologias no corpo humano e tratar logo a seguir da descoberta, em apenas 15 minutos.

É uma técnica não invasiva, indolor com realmente poucas, muito poucas, contra indicações, e com uma sensação de bem-estar porque relaxa, acalma e serena a maioria dos pacientes que dela fazem uso. Trata infeções por vírus, bactérias, fungos, e parasitas, trata disfunções do corpo (glândulas, aparelhos e sistemas) e alguns pontos chamados especiais.

O mecanismo de ação se dá “equilibrando” o meio ambiente interno do corpo, equilibrando o pH, isto é, o grau de acidez ou alcalinidade de cada lugar do corpo, para que este, possa funcionar de uma maneira correta. Equilibrando o pH, nem bactérias, nem vírus, nem fungos ou parasitas aguentam o dito ambiente equilibrado. São eliminados e é ai, onde o organismo começa a “reparação” de qualquer dano causado pelos micro-organismos no corpo do “bio-acolhido”.

O paciente deita numa maca sem tirar a roupa do corpo e nem sequer os sapatos, até porque, é ai onde nós podemos ler a situação de cada parte do corpo que a gente vai revisando. Encontrando algum problema colocam-se os ímãs negativo e positivo onde o corpo precisa. Ficam 15 minutos nesse lugar e são retirados uma vez que já fizeram o efeito desejado do equilíbrio do meio interno.

Portal MSMC – Como o biomagnetismo se insere nas práticas complementares do cuidado para melhorar a saúde indígena?

Bom, não seria capaz de responder esta questão falando de algo muito concreto que é a saúde indígena, porque eu estou chegando a esta região de Roraima. Tenho apenas dois meses de trabalho aqui e não tenho trabalhado de forma direta com a população indígena antes desta experiência. Mas pela prática em outros lugares do Brasil pude constatar que o biomagentismo vem se somar a outras técnicas chamadas interativas nos cuidados da saúde. Com um grau de aceitação muito grande, com resultados muito bons e alentadores, em todos os campos da saúde das pessoas, seja qual for a sua realidade social, cultural, religiosa, etc. Portanto, devo dizer que a técnica serve para todo ser humano e se se trata de indígenas com muito mais razão pelo fato destas comunidades encontrarem-se distantes dos grandes centros com tratamentos médicos nas distintas especialidades. Um recurso simples, econômico, prático para evitar grandes deteriorações à saúde, pode estar na mão de todo e qualquer grupo, por mais isolado que este se encontre.

Portal MSMC –  Quais são os maiores desafios da saúde mental indígena e como o MSMC poderá ajudar neste processo?

Com a visita do padre Rino a Boa Vista, Roraima, e aos centros que atendem a saúde indígena, houve uma preocupação particular pelo número cada vez maior dos suicídios indígenas. Também porque não há um profissional (psiquiatra) que possa ir ao encontro desta problemática. Chama a atenção este fenômeno estranho que não temos como explicar. Por isso, o MSMC pode dar uma contribuição preciosa neste campo atendendo casos particulares que vão caminhando para isto, porém, ainda mais importante buscando as causas sociais, econômicas, etnológicas, etc, deste fenômeno atual. Além de que este gesto, de um grupo situado em Fortaleza, Ceará, abre-se missionariamente a outras realidades, mesmo que dentro do Brasil, porém, saindo do espaço até agora normal de trabalho a um outro espaço que grita e pede ajuda.

Portal MSMC – Quais são as etnias atendidas e quais as suas características?

A comunidade que atende à população indígena aqui em Boa Vista ficou muito animada pela ajuda profissional que possa ser prestada a estes irmãos. E a comunidade comboniana que reside aqui acolhe com imensa alegria esta possibilidade, buscando uma melhor saúde para o nosso povo.

Roraima, proporcionalmente, é o estado brasileiro com maior população indígena, com quase 70 mil indígenas. São dois grandes grupos a serem contemplados segundo a orientação de atendimento da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai). Grupo Leste formado pelos Yanomami e outros grupos próximos culturalmente e, o grupo Oeste, com dezenas de grupos de diferentes etnias.

A comunidade comboniana presente em Boa Vista atende 17 comunidades indígenas nas regiões do Baixo e Médio São Marcos e Murupu, sempre na diocese de Roraima, das etnias Macuxi e Wapixana. De forma emergencial, os combonianos junto a outros religiosos, religiosas, leigos e o povo roraimense atendem os índios Warau, migrantes vindos ao Brasil premidos  pela situação econômica e social da Venezuela.

Portal MSMC – Qual a sua formação e o que o senhor gostaria de acrescentar?

Eu sou médico clínico geral, formado no México, com experiência de missão de dez anos em Moçambique. E com a redescoberta de que Comboni queria “Salvar África com África”, isto é, não adianta dar muitas consultas até o esgotamento pessoal, sempre será mais favorável “formar” pessoas que atendam ao próprio povo, do que gastar a vida atendendo muito pouco de forma pessoal. Acredito na formação de agentes no campo da saúde que possam levar para frente um projeto que ajude a “não depender” seja duma economia excludente, como de um comércio da saúde.